Atleta itabunense disputará troféu de MMA em Ipiaú

1455860_186534741550139_1483828684_n

Itabuna – Sérgio Leal, atleta Itabunense da academia Gracie Barra, competirá no próximo sábado (21/12) na cidade de Ipiaú, ele disputará o troféu de MMA na categoria 66 Kg no campeonato Gold Fight.

O atleta que treina desde 12 anos e luta profissionalmente desde 2006, conta que a preparação é puxada e requer muita disciplina, ele treina três vezes por dia, e disse que sua dieta é rigorosa, a base de proteína e folhas.

1463874_186537614883185_1569402469_n

 

Sérgio possui vários títulos, como Pira Fight, Mega Fight, Evolution Fight, Tan Lan Fight, Super Chalenge, Dragon Fight, Interior Fight I e II, O Gladiador, Lions FC e Barra Fight BFC.

Ele iria disputar o Interior Fight III, no entanto, por falta de patrocinadores do evento que acontece em Rio Preto, interior de São Paulo, o campeonato foi cancelado. Esse fato ressalta a importância de patrocinadores apoiarem tanto atletas, quanto eventos deste porte.

O campeão relembra que quando foi disputar a segunda edição do Interior Fight em São Paulo, contou com o apoio de vários empresários da cidade, Climetran, Auto Escola Regional, Realce Car, Pizzaria Taberna, Academia Impacto, loja de suplementos SNC e a academia Gracie Barra.

1472799_186534571550156_1627116406_n

1477677_186537521549861_1030473220_n

Comentários

Mais notícias

Competição de Beach Tennis começa nesta sexta, em Ilhéus

Arenas que receberão as competições de beach tennis na praia da Avenida Soares Lopes, no centro de Ilhéus.  - Foto Roberto Santos Secom Ilheus (3)

Bahia deve receber três novos centros olímpicos

centro-panamericano-de-judôO Governo da Bahia, através da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), negocia com o Ministério do Esporte a implantação de três novos centros olímpicos no estado. São eles: o Centro de Canoagem, o Centro de Luta Olímpica e o Centro de Boxe.

O pleito está em discussão e, nesta quinta-feira (20), foi pauta de agenda entre o secretário estadual Álvaro Gomes, o secretário de Alto Rendimento do ministério, Carlos Geraldo, os presidentes da Confederação de Luta Olímpica e Confederação de Boxe, Pedro Gama e Mauro Silva, respectivamente, o presidente da Federação de Boxe da Bahia, Joilson Santana, e ainda o vice-presidente da Federação de Canoagem da Bahia, José Carlos.

Conforme o secretário Álvaro, a sinalização dada pelo ministério é positiva e o governo baiano está empenhado para que os três projetos sejam concretizados. A ideia é que o Centro de Canoagem seja implantado na foz do Rio de Contas, podendo ser em Ubaitaba, Itacaré, ou em outro município. Já há definição de local para os centros luta; o secretário informou que a cidade de Salvador é quem deve receber os empreendimentos. Novas conversas serão feitas. E a tomada de decisão pode sair nas próximas semanas.

O presidente da Confederação de Boxe, Mauro Silva, comemorou a iniciativa. “O nosso pensamento é criar um centro regional na Bahia, estado com forte potencial para o esporte”. Ele assinalou que o esporte faz parte da área social e é responsável por grandes transformações.

A reunião também permitiu que o governo baiano apresentasse outros pleitos, a exemplo da realização de eventos internacionais na Bahia. “Estamos reivindicando a Copa do Mundo de Seleções de Judô, que ocorrerá no início de 2016, e ainda a realização de um desafio entre a Seleção Brasileira de Box contra uma seleção internacional”, adiantou Gomes. A Bahia oferece como palco da disputa entre judocas o Centro Panamericano de Judô e o ginásio de Cajazeiras para o boxe.

Destaque da natação faz desabafo: “A natação brasileira não se resume a Cesar Cielo”

bruno-fratus-comemora-vitoria-sobre-esar-cielo-nos-100m-do-trofeu-maria-lenk-1304775293561_1024x768

Na última edição dos Jogos Olímpicos, em Londres 2012, Cesar Cielo conquistou a medalha de bronze nos 50m livre, apenas 0s02 à frente do compatriota Bruno Fratus. Três anos depois, os papéis se inverteram, e Bruno, no Mundial de Kazan, encerrado há oito dias, levou a medalha de bronze na disputa mais rápida da natação, enquanto Cielo abandonou a competição antes de entrar em cena.

“Não tem o Cesar, mas tem o Marcelo (Chierighini) e o Nicholas (Santos). Já cansei de falar que a natação brasileira não se resume a Cesar, então eu não sinto falta”, disse, acrescentando: “Na verdade, se eu escutei dois ‘ois’ dele na competição inteira foi muito. Ele ficou bem quieto a competição inteira, bem calado. Achei que a galera estava de sacanagem com a minha cara, fiquei surpreso dele ter ido embora”.

Mais Notícias