Atleta itabunense disputará troféu de MMA em Ipiaú

1455860_186534741550139_1483828684_n

Itabuna – Sérgio Leal, atleta Itabunense da academia Gracie Barra, competirá no próximo sábado (21/12) na cidade de Ipiaú, ele disputará o troféu de MMA na categoria 66 Kg no campeonato Gold Fight.

O atleta que treina desde 12 anos e luta profissionalmente desde 2006, conta que a preparação é puxada e requer muita disciplina, ele treina três vezes por dia, e disse que sua dieta é rigorosa, a base de proteína e folhas.

1463874_186537614883185_1569402469_n

 

Sérgio possui vários títulos, como Pira Fight, Mega Fight, Evolution Fight, Tan Lan Fight, Super Chalenge, Dragon Fight, Interior Fight I e II, O Gladiador, Lions FC e Barra Fight BFC.

Ele iria disputar o Interior Fight III, no entanto, por falta de patrocinadores do evento que acontece em Rio Preto, interior de São Paulo, o campeonato foi cancelado. Esse fato ressalta a importância de patrocinadores apoiarem tanto atletas, quanto eventos deste porte.

O campeão relembra que quando foi disputar a segunda edição do Interior Fight em São Paulo, contou com o apoio de vários empresários da cidade, Climetran, Auto Escola Regional, Realce Car, Pizzaria Taberna, Academia Impacto, loja de suplementos SNC e a academia Gracie Barra.

1472799_186534571550156_1627116406_n

1477677_186537521549861_1030473220_n

Comentários

Mais notícias

Corrida do fogo 2015

PhotoGrid_1432919985405

 

 

A Corrida do Fogo é um projeto que estará sendo realizado pelo seu 16º ano consecutivo na cidade de Itabuna e faz parte das atividades desenvolvidas anualmente pelo 4º Grupamento de Bombeiros Militares em comemoração a Semana de Prevenção à Incêndio, semana esta que engloba o Dia Nacional do Bombeiro (2 de julho).

Este projeto consistirá na realização de uma corrida de rua com 10 (dez) Km de percurso, no dia 05 de julho de 2015 (Domingo), com concentração as 07:00 horas e largada as 07:45 horas, na sede do 4º GBM/Itabuna, buscando despertar junto à comunidade a importância da educação física e da pratica desportiva como instrumentos de bem estar e de saúde, além do alcance social e humanitário do projeto com a arrecadação de alimentos não perecíveis para doação a uma instituição de apoio a pessoas idosas.

A novidade nesta edição da Corrida do Fogo será a inclusão de uma Caminhada com percurso de 2,5 Km, no mesmo dia e horário da corrida de rua, saindo também da sede do GBM.

Na edição de 2014, tivemos 258 (duzentos e cinquenta e oito) inscritos e 188 (cento e oitenta e oito) corredores, tendo os seguintes vencedores: 1º Lugar Masculino Geral: Antonio Raimundo Neres de Oliveira; 1º Lugar Feminino Geral: Andreia de Souza Ribeiro Santos; 1º Lugar Veterano: Renaldo de Jesus Santos; 1º Lugar Bombeiro Militar: Cb BM Antonio Carlos Santos de Jesus; 1º Lugar Masculino Militar: Ubirajara Palagane Mendes; 1º Lugar Feminino Militar: Sgt BM Joélia Pereira da Silva.
Em 2014, foram arrecadados cerca de 404 (quatrocentos e quatro) Kg de alimentos não perecíveis e doados ao Abrigo São Francisco de Assis que abriga idosos em Itabuna.

Aos atletas participantes serão fornecidos: uma camisa da corrida, água mineral para hidratação durante o percurso bem como frutas e sucos após a corrida. Para garantir a segurança e bem estar dos atletas buscaremos o apoio do 15º BPM, da Settran e do Samu.
Os vencedores nas seis categorias serão premiados com troféus e medalhas nas três primeiras colocações de cada categoria. Qualquer outra premiação extra dependerá de apoio de patrocinadores.

O período de inscrição será de 01 de junho a 03 de julho de 2015, até as 18:00 h. Os locais de inscrição serão na sede do 4º GBM/Itabuna ou pela Internet (www.pm.ba.gov.br/bombeiros). A inscrição será 02 (dois) kg de alimentos não perecíveis para doação a uma Instituição de Caridade de Itabuna.
A entrega do kit corrida (camisa, numeração e senha) será dia 04 de julho de 2015, das 08:00 as 18:00h, na sede do 4º GBM.

Pedido de Romário é aceito e Senado instaura CPI do CBF

Romário-2-550x309O requerimento de criação de uma CPI no Senado para investigar crimes de corrupção envolvendo a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) foi lido em plenário nesta quinta-feira. O ato significa que a comissão foi admitida e agora os líderes partidários devem indicar os senadores que integrarão o colegiado. O senador Romário (PSB-RJ) é o autor do requerimento e recolheu 50 assinaturas para a instalação da comissão em menos de uma hora. São 23 a mais que o mínimo exigido. Nesta tarde, ele voltou a criticar dirigentes da Fifa e da CBF em seu discurso. O ex-jogador afirmou que a prisão de dirigentes da Fifa na Suíça, na quarta-feira, foi um alento e disse esperar que outros dirigentes sejam presos. “Espero que ele (Joseph Blatter, presidente da Fifa) seja preso antes de assumir um novo mandato”, afirmou Romário, mencionando a eleição que deve reconduzir Blatter ao cargo nesta sexta-feira. Romário disse que a corrupção também é regra no esporte no País. “O nome do Brasil está hoje ligado a tudo que há de pior em termos de corrupção esportiva.” O senador disse esperar “uma verdadeira devassa” na CBF, que apelidou de “casa bandida do futebol”. Romário criticou o ex-presidente da CBF José Maria Marin, preso quarta na Suíça a pedido da Justiça norte-americana, e estendeu as críticas ao atual dirigente, Marco Polo Del Nero, que assumiu a CBF neste ano. “Assim como o Marin, comprovadamente um ladrão, ainda temos que tirar outro câncer do futebol, o atual presidente da CBF, Marco Polo Del Nero”, disse Romário da tribuna.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Fifa afasta José Maria Marin e 10 investigados em casos de corrupção

A Federação Internacional de Futebol (Fifa) anunciou o afastamento provisório do futebol de 11 pessoas investigadas pela Justiça dos Estados Unidos. A decisão foi anunciada pelo presidente do Conselho de Ética da entidade, Hans-Joachim Eckert, poucas horas após sete dirigentes da entidade serem detidos na Suíça, acusados de corrupção para negociar as escolhas dos países-sede das Copas do Mundo da Rússia, em 2018, e do Catar, em 2022; o direito de transmissão dos jogos e contratos de marketing.

Ex-presidente da CBF José Maria Marin“As acusações estão claramente relacionadas com o futebol e são de natureza tão grave que era imperativo tomar uma ação rápida e imediata. O processo seguirá o seu curso em linha com o Código de Ética da Fifa”, diz Eckert em nota divulgada pela federação.

Entre os afastados está o ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin. Ele e dez investigados estão proibidos de participar profissionalmente de qualquer atividade relacionada ao futebol, nacional ou internacional.

Os outros suspeitos afastados são o caimanês Jeffrey Webb, vice-presidente da Fifa e presidente da Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caribe (Concacaf); o costarriquenho Eduardo Li; o nicaraguense Julio Rocha; o inglês Costas Takkas; o uruguaio Eugenio Figueredo e o venezuelano Rafael Esquivel. Todos fazem parte da diretoria da Fifa e foram detidos hoje pelas autoridades suíças com o apoio do FBI. Eles deverão ser extraditados para os Estados Unidos em breve.

Além desses dirigentes também foram afastados o ex-presidente da Confederação Norte-Americana de Futebol, Jack Warner, e seu filho Daryll Warner; o paraguaio Nicolás Leoz, ex-presidente da Confederação da América do Sul (Conmebol) e o ex-membro do Comitê Executivo da Fifa, Charles Blazer.

CBFAlém de investigar a suspeita de fraude na escolha da Rússia e do Catar como países-sede das duas próximas edições da Copa do Mundo, as autoridades norte-americanas afirmam ter encontrado indícios de irregularidades em negociações levadas à cabo em outros países. No Brasil, as suspeitas recaem sobre contratos de patrocínio assinados pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e de transmissão da Copa do Brasil – campeonato organizado pela confederação e disputado entre clubes de todo o país, segundo o Departamento de Justiça Americano.

Outros dois brasileiros, além de Marin, figuram na lista de investigados do Departamento de Justiça dos Estados Unidos: o empresário José Hawilla, dono da Traffic Group, e José Margulies, dono de empresas de transmissão de eventos esportivos. Segundo o Departamento de Justiça, Hawilla já fez um acordo se comprometendo a pagar multa de US$ 151 milhões por participação no esquema.

Fonte: Agência Brasil

 

Mais Notícias