Crescimento do mercado imobiliário deve facilitar a compra da casa própria

O mercado imobiliário sempre foi um importante termômetro para saber como está a economia brasileira. Atualmente a construção civil é responsável por aproximadamente 6% do total do PIB do Brasil. Em 2019, a expectativa é de que haja um crescimento de 2%, segundo dados do Sindicato da Indústria da Construção CIvil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) com a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

 

Os dados apontados pelo levantamento são importantes para o mercado, pois demonstram a quebra de uma sequência negativa acontecida nos últimos anos. Para a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), 2019 deve ser ainda mais animador do que os últimos anos. Afinal, apenas no primeiro trimestre deste ano, a entidade encontrou dados que apontam o avanço de 9,7% no número de vendas e de 4% a mais em relação aos lançamentos comerciais para o período.

 

A CBIC acredita ainda que os lançamentos e as vendas dos imóveis com finalidade de moradia cresçam entre 10% e 15% ainda em 2019, com as moradias de médio e alto padrões sendo as principais responsáveis por aquecer esse mercado.

 

O ânimo dos empresários do setor se justifica também pelas informações divulgadas pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE). Afinal, os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas do SBPE ajudam a custear as moradias de alto e médio padrões. O aumento de 40,3% em abril, em comparação ao mesmo mês de 2018, reforça essas perspectivas favoráveis.

 

Com a melhoria no cenário para as construtoras, muitos investidores afirmam que este é um bom momento para a aquisição da casa própria — ou até mesmo de um segundo imóvel, com o objetivo de investimento. O aumento das ofertas propicia que os futuros proprietários tenham maior condição de negociar preços e condições facilitadas de pagamento.

 

Crescimento é maior em moradias de luxo

Os dados apontam que o crescimento é ainda mais acelerado nos imóveis que atendem a classe média alta e classe A. Ou seja, essas construções apresentam uma venda de ticket médio maior que outras construções, além de movimentarem todo um mercado de produtos de luxo e exclusividade. Desta forma, engenheiros e arquitetos também têm visto um aquecimento nos trabalhos neste ano.

 

Além disso, as casas estão passando a ser cada vez mais um espaço completo, fornecendo tudo aquilo que os moradores precisam no dia a dia ou em ocasiões especiais. Com isso, ao se criar um imóvel mais personalizado para o proprietário, aquece-se não apenas o setor de construção, como também de pequenas reformas para os cômodos e ambientes, que fazem uso de equipamentos, que vão desde martelo a esmerilhadeira, aumentando também as vendas no setor.

 

Comentários

Mais notícias

Mais Notícias