Padrasto abusa de enteado e é estuprado na prisão

00

Brasília- No fim de março um caso de um padrasto que estuprou o enteado de 1 ano e 8 meses deixou a população de Brasília indignada. O professor de jiu-jitsu Daryell Dickson Menezes Xavier espancou e estuprou o enteado no fim de março em Taguatinga.

No dia 1º de abril o estuprador se apresentou a polícia, foi ouvido e está cumprindo prisão temporária de 30 dias. A mãe da criança publicou vários desabafos no facebook, “Agora nesse momento eu abro minha boca a todos! Não amenizei minha dor, mas comecei a fazer justiça à minha própria paz, ao meu próprio coração. Cara a cara com o assassino do meu neném! Eu o repudio!”, escreveu. Ela ainda disse, “Eu entreguei minha vida e a do meu filho pra esse homem cuidar, eu acreditei no amor e na bondade dele, eu o apoiei, eu o amei, e aceitei seus defeitos sem saber que ele era algo muito pior, minha família inteira se encantou por ele, fomos acolhidos e acolhemos ele e seu filho”, relata Gabrielle Estrela no texto.

Fotos divulgadas na internet mostram o autor sendo medicado após ter sido estuprado e segundo informações ainda com pontos, ele foi abusado novamente na cadeia por presos revoltados.

Na delegacia, Daryell disse a ex-esposa que estava possuído pelo demônio quando isso aconteceu. Segundo a polícia, na cela onde estava, Daryell disse que era professor de jiu jitsu e que se caso alguém fizesse graça poderia se dar muito mal, 20 presos se juntaram para abusar do estuprador.

01

Comentários

Mais notícias

Acusado de matar jornalistas nos EUA morre no hospital

Vester Lee Flanagan, suspeito de ter matado a tiros os jornalistas Alison Parker e Adam Ward nos EUA, morreu na tarde desta quarta-feira (26) num hospital, informou o xerife do condado de Franklin, Bill Overton.

“Aproximadamente às 13h30, o suspeito morreu no Hospital Fairfax, no norte da Virgina, como resultado de feridas de bala autoinfligidas”, disse.

O suspeito havia atirado em si mesmo enquanto era perseguido e foi transportado para o hospital em uma ambulância. Ele usava na mídia o nome de Bryce Williams.

A repórter Alison Parker, de 24 anos, e o cinegrafista, Adam Ward, de 27 anos, do canal WDBJ-TV, foram atingidos na cidade de Moneta por volta das 6h45 (no horário local) quando estavam no ar.

Segundo as autoridades, após o ataque, Flanagan fugiu dentro de um Mustang para o aeroporto local. Lá ele mudou para um Chevrolet Sonic que alugou no começo do mês. O xerife pediu a ajuda da polícia estadual, que ficou de alerta. Uma policial na rodovia I-66 avistou o veículo procurado seguindo na direção leste e acionou o esquema para tentar parar o veículo.

Williams acelerou e fugiu. Cerca de um ou dois minutos depois o veículo saiu da estrada e bateu. Quando a polícia chegou até o carro encontrou o suspeito ferido após atirar em si mesmo.

Ataque
Flanagan registrou os disparos e postou o vídeo em sua conta no Twitter. Ele escreveu também que Alison Parker havia feito comentários racistas e que Adam Ward fez uma reclamação contra ele no setor de recursos humanos do canal.

Foto de perfil do jornalista Bryce Williams no Twitter (Foto: Reprodução/Twitter/brycewilliams7)Foto de perfil do jornalista Vester Lee Flanagan no
Twitter (Foto: Reprodução/Twitter/brycewilliams7)

Também foi ferida no tiroteio a entrevistada Vicki Gardner, integrante da Câmara de Comércio da região. Ela conversava com a repórter no momento do crime. Ela foi atingida nas costas, passou por cirurgia e está em condição estável, segundo disse um porta-voz do hospital. Não havia detalhes sobre seu estado de saúde.

O programa “Entertainment Tonight”,  da rede CBS, publicou no Twitter uma nota divulgada pela família da jornalista Alison Parker: “Isso é sem sentido e nossa família está destruída”, afirma o texto, que descreve Parker como “vivaz, ambiciosa, esperta, engajada, hilária, bonita e imensamente talentosa”.

Atirador havia sido demitido
Em transmissão ao vivo sobre a repercussão do assassinato de seus dois funcionários, o gerente geral da emissora WDBJ7, Jeff Marks, esclareceu que Flanagan trabalhou na empresa e foi demitido há dois anos por problemas relacionados à sua raiva no ambiente de trabalho.

“Depois de muitos incidentes em que ele reagiu com muita raiva, nós o demitimos. Ele não aceitou bem [a demissão], nós tivemos que chamar a polícia para escoltá-lo para fora do prédio”, afirmou Marks no ar.

Imagem dos jornalistas Alison Parker e Adam Ward foi compartilhada em homenagem nas redes sociais: 'como eles devem ser lembrados em vez daquele vídeo terrível' (Foto: Reprodução/Twitter)Imagem dos jornalistas Alison Parker e Adam Ward foi compartilhada em homenagem nas redes sociais: ‘como eles devem ser lembrados em vez daquele vídeo terrível’ (Foto: Reprodução/Twitter)

Relato de comentários racistas
Segundo o gerente, o jornalista acionou a Justiça contra funcionários da emissora, que ele acusou de terem sido racistas contra ele. “Ele entrou com uma ação, e fez vários tipos de reclamação. Talvez haja uma sobre Alison [Parker, a repórter que Williams acusou, em seu Twitter, de ter feito comentário racista contra ele, e que foi morta a tiros nesta quarta], eu francamente não me lembro. [Foram reclamações] sobre membros da equipe terem feito comentários racistas, ele é afro-americano.”

Marks continuou, afirmando que a empresa abriu procedimentos sobre as reclamações, mas disse que “nenhuma dessas reclamações foi corroborada”.

Casa Branca
A Casa Branca afirmou após o crime que o tiroreio foi mais um exemplo de violência armada que “está se tornando comum demais”. O secretário de imprensa da casa Branca, Josh Earnest, disse a jornalistas que o Congresso deveria aprovar uma legislação que tivesse um “impacto tangível na redução da violência por armas no país”.

Imagens transmitidas ao vivo
Nas imagens gravadas pelo cinegrafista pouco antes de morrer, é possível ouvir os tiros e ver o momento em que a repórter tenta se esconder dos disparos. A câmera cai, mas ainda registra as pernas do atirador. Logo em seguida e fora do campo de imagem, os gritos da jornalista continuam a ser ouvidos.

Acredita-se que o atirador tenha atirado seis ou sete vezes, disse o gerente-geral do WDBJ Jeff Marks, segundo a CNN.

Dois jornalistas de TV foram mortos com tiros na Virginia quando conduziam uma entrevista ao vivo. O incidente ocorreu em Bedford County. As imagens mostram que, quando os tiros foram ouvidos, a repórter e uma entrevistada se abaixaram assustadas (Foto: Reprodução/WDBJ 7)Dois jornalistas de TV foram mortos com tiros na Virginia quando conduziam uma entrevista ao vivo. O incidente ocorreu em Bedford County. As imagens mostram que, quando os tiros foram ouvidos, a repórter e uma entrevistada se abaixaram assustadas (Foto: Reprodução/WDBJ 7)

Perfil dos assassinados
Alison Parker namorava Chris Hurst, que é âncora do mesmo canal de TV em que ela trabalhava. Em seu Twitter, ele escreveu que os dois planejavam se casar.

“Estávamos juntos há quase nove meses. Foram os melhores nove meses das nossas vidas. Queríamos nos casar. Acabamos de celebrar seu aniversário de 24 anos”, disse Chris Hurst. “Ela era a mulher mais radiante que eu já conheci”, completou.

Hurst afirmou que Parker trabalhava diariamente com Adam Ward, o cinegrafista que também morreu no tiroteio. “Eles eram uma equipe. Estou com o coração partido pela noiva dele.”

Outro jornalista do canal disse que Ward tinha dito recentemente que planejava deixar o jornalismo e fazer outra coisa.

Bryce Williams postou comentários no Twitter afirmando que 'Alison fez comentários racistas' e que Adam o 'denunciou no RH depois de ter trabalhado junto apenas uma vez' (Foto: Reprodução/Twitter)Bryce Williams postou comentários no Twitter afirmando que ‘Alison fez comentários racistas’ e que Adam o ‘denunciou no RH depois de ter trabalhado junto apenas uma vez’ (Foto: Reprodução/Twitter)
Canal WDBJ7 postou em seu perfil no Twitter fotos de Alison Parker e Adam Ward em homenagem: 'Nós amamos vocês, Alison e Adam' (Foto: Reprodução/Twitter/WDBJ7)Canal WDBJ7 postou em seu perfil no Twitter fotos de Alison Parker e Adam Ward em homenagem: ‘Nós amamos vocês, Alison e Adam’ (Foto: Reprodução/Twitter/WDBJ7)

Parker, que é repórter matutina da rede, começou como estagiária. Ela é natural da Virgínia e passou a maior parte de sua vida na cidade de Martinsville.

Kimberly McBroom, a âncora que estava apresentando o jornal durante o ataque ao vivo, disse à CNN que Parker era uma “estrela de rock”. “Você pedia qualquer coisa àquela garota e ela conseguia fazer.”

Os colegas de trabalho ficaram chocados com o ocorrido. “É com extrema tristeza que nós informamos que Alison Parker e Adam Ward foram mortos em um ataque nesta manhã”, lamentou no Twitter a rede de TV WDBJ7.

Transmissão da emissora WBDJ7 mostra o local onde o suspeito de matar dois funcionários do canal de televisão foi preso pela polícia da Virgínia, nos EUA, depois de atirar em si mesmo (Foto: Reprodução/WDBJ7)Transmissão da emissora WBDJ7 mostra o local onde o suspeito de matar dois funcionários do canal
de televisão foi preso pela polícia da Virgínia, nos EUA, depois de atirar em si mesmo (Foto: Reprodução/WDBJ7)
Imagens postadas em redes sociais mostram momento em que o atirador aparece no vídeo durante a entrada ao vivo (Foto: Reprodução)Imagens postadas em redes sociais mostram momento em que o atirador aparece no vídeo durante a entrada ao vivo (Foto: Reprodução)

G1

Homem confessa ter matado mulher e bebê no Ceará

O homem suspeito de matar a mulher e a filha de oito meses em Paracuru, no litoral oeste do Ceará, confessou o crime na tarde desta segunda-feira (24). Segundo a Polícia Civil, o suspeito de 37 anos, não deu muitos detalhes, mas revelou que costumava brigar com frequência com a mulher e que atirou nela e no bebê no quarto de uma casa de veraneio na cidade de Paracuru. O advogado Leandro Vasques, contratado pela família das vítimas, disse ao G1 que pediu a prisão preventiva do suspeito.

Homem é suspeito de assassinar mulher e filha de oito meses em casa de veraneio (Foto: Reprodução/ Facebook)Homem é suspeito de assassinar mulher e filha
de oito meses em casa de veraneio
(Foto: Reprodução/ Facebook)

 A confissão foi feita à delegada Socorro Portela, da Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), na própria residência onde ocorreu o duplo homicídio, para onde ele foi conduzido nesta tarde para um procedimento de perícia da Polícia Civil. “Ele chorou e disse que estava arrependido. Falou que teve uma discussão banal com a mulher antes de dormir e que atirou nela depois que se deitou. Ele disse que não lembra o motivo da briga”, afirmou a delegada.

Na casa, foram encontrados na manhã de domingo (23), os corpos de Adriana Moura de Pessoa Carvalho Moraes, de 39 anos, e do bebê de oito meses Jade Pessoa de Carvalho, mortas com tiros na cabeça e nas costas, respectivamente. Os corpos das vítimas foram veladas em uma funerária no Bairro Dionísio Torres, em Fortaleza e sepultados no cemitério Parque da Paz na manhã desta segunda-feira.

A Polícia Civil encontrou na madrugada desta segunda-feira (24), dentro da residência do gaúcho Marcelo Barberena Moraes, no Bairro Cocó, em Fortaleza (Foto: Polícia Civil)A Polícia Civil encontrou na madrugada desta
segunda-feira (24), dentro da residência do
gaúcho Marcelo Barberena Moraes, no Bairro Cocó,
em Fortaleza (Foto: Polícia Civil)

Armas apreendidas
Na madrugada desta segunda-feira (24), a Polícia Civil encontrou dentro da residência do gaúcho Marcelo Barberena Moraes, no Bairro Cocó, em Fortaleza, uma coleção de armas de fogo.  Durante uma vistoria  no apartamento a Policia Civil encontrou revólveres calibre 22 e 32, espingardas de pressão, cinco garruchas ( arma de fogo de cano curto, semelhante a uma pistola ou revólver), dardos e munições. Segundo a delegada da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Socorro Portela, o suspeito não tinha permissão para usar as armas.

O crime
De acordo com a PM, o assassinato ocorreu por volta 2h da manhã. A mulher e a filha dormiam em um quarto da casa que fica no Bairro Campo de Aviação, quando foram assassinadas. A mãe foi atingida na cabeça, e a bebê, nas costas. Duas famílas, a das vítimas e a do irmão do suspeito, passavam o fim de semana na casa onde ocorreram os crimes.

Casa passou por vistoria nessa manhã; marido e cunhados das vítimas foram detidos (Foto: Airton Neto/ Arquivo Pessoal)Casa passou por vistoria nessa manhã; marido e cunhados das vítimas foram detidos (Foto: Airton Neto/ Arquivo Pessoal)

Ligação  falava em assalto
A PM informou também que os tiros foram ouvidos de madrugada pelos vizinhos, mas a primeira ligação relatando a ocorrência foi feita por volta de 6h da manhã pelo cunhado da vítima. Na ligação, ele disse que a casa teria sido arrombada e que os parentes foram assassinados por assaltantes.

Durante vistoria, policiais descartaram a possibilidade de arrombamento na residência. Uma arma foi encontrada dentro de uma cadeirinha de bebê que estava na casa. O marido da vítima estava dormindo no quarto ao lado e disse que não ouviu barulho de tiros.

O marido da vítima e o irmão dele, que fez a ligação, foram detidos e levados para a Delegacia Municipal de Paracuru. Em seguida, eles foram encaminhados para a Coordenadoria de Medicina Legal, em Fortaleza, onde foram submetidos a exame para detectar vestígios de pólvora no corpo. De lá, eles foram levados para a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O local do crime segue isolado.

 G1

Encontro por aplicativo vira emboscada em Salvador

234281846-tinder-dating-app-photo-014 (1)

Salvador – Na noite desta terça-feira (18), um jovem de 21 anos foi vítima de uma emboscada após marcar um encontro por meio de um aplicativo de celular. Segundo a Central de Polícia (Centel), a vítima deveria encontrar uma mulher de prenome “Tati” por volta das 21h, mas ao chegar no ponto combinado, na Avenida Gal Costa, foi abordado por dois homens. Os bandidos anunciaram o assalto e o balearam nas costas, no abdômen e no pescoço. De acordo com o G1, o homem foi socorrido e levado para o Hospital Geral do Estado (HGE). Não há informações sobre  o que foi levado do jovem ou sobre os autores do crime.

 

Mais Notícias