Padrasto abusa de enteado e é estuprado na prisão

00

Brasília- No fim de março um caso de um padrasto que estuprou o enteado de 1 ano e 8 meses deixou a população de Brasília indignada. O professor de jiu-jitsu Daryell Dickson Menezes Xavier espancou e estuprou o enteado no fim de março em Taguatinga.

No dia 1º de abril o estuprador se apresentou a polícia, foi ouvido e está cumprindo prisão temporária de 30 dias. A mãe da criança publicou vários desabafos no facebook, “Agora nesse momento eu abro minha boca a todos! Não amenizei minha dor, mas comecei a fazer justiça à minha própria paz, ao meu próprio coração. Cara a cara com o assassino do meu neném! Eu o repudio!”, escreveu. Ela ainda disse, “Eu entreguei minha vida e a do meu filho pra esse homem cuidar, eu acreditei no amor e na bondade dele, eu o apoiei, eu o amei, e aceitei seus defeitos sem saber que ele era algo muito pior, minha família inteira se encantou por ele, fomos acolhidos e acolhemos ele e seu filho”, relata Gabrielle Estrela no texto.

Fotos divulgadas na internet mostram o autor sendo medicado após ter sido estuprado e segundo informações ainda com pontos, ele foi abusado novamente na cadeia por presos revoltados.

Na delegacia, Daryell disse a ex-esposa que estava possuído pelo demônio quando isso aconteceu. Segundo a polícia, na cela onde estava, Daryell disse que era professor de jiu jitsu e que se caso alguém fizesse graça poderia se dar muito mal, 20 presos se juntaram para abusar do estuprador.

01

Comentários

Mais notícias

Mulher de Latino forja sequestro relâmpago para trair marido e é pega no flagra

xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.VSFT-0nd-L

O cantor Latino flagrou a sua mulher, Rayanne Morais, na cama com um ex-jogador. De acordo com a coluna de Léo Dias, ela teria simulado um sequestro relâmpago de duas horas, mas Latino teria descoberto tudo. Desde então, eles estariam separados.
Procurado pela publicação, Latino disse estar “sem chão”. Já Rayanne, reafirmou, através de mensagens de texto para a coluna que “não é o tipo de mulher que casa para se separar”: “O meu casamento foi feito sob a bênção de Deus e é Ele que rege a minha vida”.
Depois de ler o que o tal ‘amigo’ do casal contou, Rayanne perdeu a compostura: “Tô p… com essa história! Tô p… com essa vaca que está fazendo este inferno, vou dar um cacete nessa pessoa. Isso é uma ‘fofocaiada’ danada. Não estamos separados nem vamos nos separar”, disse. Sobre a declaração de Latino, que disse “estar sem chão”, Rayanne explicou: “Por que ele disse isso? Porque homem é fraco, mas eu sou forte, muito mais forte do que ele imagina. Agora eu vou com essa história até o final”.
Fonte: Bahia Notícias

Vídeo: Acusado de roubo chora ao descobrir que juíza foi sua amiga de escola

20150703170217406641u

Dois ex-colegas de escola, uma juíza e um suspeito de furto a residência, tiveram um reencontro emocionante em um tribunal de Miami, na Flórida.

A juíza Mindy Glazer estava à frente de uma audiência com o suspeito, Arthur Booth, de 49 anos, acusado de furto e de resistir à prisão.

No fim da audiência, a juíza pergunta se o suspeito frequentou, no ensino médio, a escola Nautilus Middle School. Arthur Booth demonstra grande surpresa ao reconhecer a juíza, começa a chorar e cobre o rosto repetindo “Meu Deus, meu Deus”.

“Sinto muito por encontrá-lo aqui. Sempre me perguntei o que havia acontecido com você, senhor”, disse a juíza em meio ao choro contínuo do ex-colega.

“Esse era o menino mais legal na escola, ele era a melhor criança da escola. Eu jogava futebol com ele (…) e vejam o que aconteceu”, disse a juíza. “Espero que você seja capaz de mudar. Boa sorte para você. Espero que você consiga sair dessa bem e levar uma vida dentro da lei”, acrescentou.

A juíza determinou que o suspeito permaneça preso sob fiança de U$ 43 mil (R$ 134 mil).

Bonner comenta injúrias raciais contra Maju Coutinho no JN

maria-júlia-coutinho

A jornalista Maria Júlia Coutinho, conhecida como Maju, a garota do tempo do Jornal Nacional, da Rede Globo, foi vitima de ataques racistas no Facebook na noite desta quinta-feira (2). Após a página oficial do telejornal publicar uma foto dela nan reden sociais, os seguidores fizeram diversos comentários racistas.

 

“Só conseguiu emprego no JN por causa das cotas, preta macaca” e “Não tenho TV colorida para ficar olhando essa preta”, apareceram entre os comentários preconceituosos na publicação.

 

Muitos seguidores defenderam a jornalista e destacaram o potencial da jornalista. “Você é muito talentosa, Maju”, disse um. “Acabo de fazer um print de todos os comentários dessa postagem e irei levá-lo às autoridades cabíveis. Racismo é crime”, defendeu outro.

 

Essa não é a primeira vez que Maju sofre ofensas na internet. Anteriormente, em outra publicação feita pela página do Jornal Nacional, também foram identificados comentários racistas.

 

William Bonner comentou, no “Jornal Nacional” desta sexta-feira, as injúrias raciais feitas contra Maria Júlia Coutinho, a Maju, garota do tempo do telejornal. “Maju recebeu uma demonstração de carinho. Hoje, dia do combate à discriminação racial, 50 criminosos fizeram ataques de maneira coordenada. O que aconteceu depois foi que milhares de pessoas manifestaram indignação e repúdio. A expressão #SomosTodosMajuCoutinho ganhou as redes sociais”, disse o apresentador.

 

Maju também comentou a situação, depois de fazer a previsão do tempo: “Todo mundo estava preocupado, achando que eu estaria chorando pelos corredores. Eu lido com essa questão desde que me entendo por gente. Fico indignada, mas não esmoreço. Cresci numa família consciente, militante”, disse ela, para completar: “Acho interessante as medidas legais serem tomadas. E fico feliz com a manifestação de carinho, eu recebi milhares de email e mensagens. Isso é o mais importante”.

“Os preconceituosos ladram, mas a Majuzinha passa”, finalizou.

comentários

Informações: Extra Globo

 

Mais Notícias