Vídeo mostra homem sendo executado em rua movimentada do RJ

execução-luz-do-dia-rio-de-janeiro-reprodução-extra

Rio de Janeiro – Um homem foi executado à luz do dia, na Estrada Plínio Casado, uma das mais movimentadas da cidade. Segundo os relatos de testemunhas à 54ª DP (Belford Roxo), a vítima seria um ladrão e estava atacando comerciantes e pedestres.

O crime aconteceu na noite do dia 23 de janeiro e desde então, o vídeo vem sendo compartilhado na internet.

Nas imagens, é possível ver um homem sem camisa e de bermuda branca sentado no chão de terra, em frente a um ponto de ônibus. Ele é segurado pela cabeça por um outro homem, usando camisa preta e tênis. Segundos depois, passa uma moto ocupada por duas pessoas pela rua, que para logo em frente ao rapaz. Da garupa do veículo, salta um homem negro, sem camisa e de chinelos. Ele saca uma pistola e dispara três vezes à queima-roupa contra a cabeça da vítima, que ainda tenta se defender levantando os braços e abaixando a cabeça.

Veja a ação no vídeo!

Comentários

Mais notícias

Vídeo flagra acidente surpreendente no Rio Grande do Norte

sfdsafdsf

Um carro desgovernado causou um acidente inusitado na cidade de Assu, no Rio Grande do Norte. Três homens estavam sentados embaixo de uma árvore, quando um carro desgovernado foi para cima da calçada e colidiu contra a árvore. Dois homens não foram atingidos. Para surpresa de todos, o terceiro homem sai debaixo do veículo ileso.

Veja o vídeo:

Dr. Rey terá que provar à Justiça que sabe ler e escrever

xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.GWJnpKyS0T

O candidato a deputado federal Roberto Miguel Rey Junior (PSC), conhecido como Dr. Hollywood, terá que provar à Justiça Eleitoral de São Paulo se sabe ler e escrever em português. O postulante à Câmara apresentava um reality show sobre cirurgias plásticas na TV americana. Ele deixou o Brasil aos 11 anos de idade para morar nos Estados Unidos, onde se formou em ciências políticas e cirurgia plástica na Universidade de Harvard. A Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo (PRE-SP) encaminhou manifestação ao Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) para cobrar documento de alfabetização em português de Dr. Rey. O órgão também exigiu documento de identidade e apontou incompatibilidade na declaração de renda apresentada pelo cirurgião. No site do TRE, o candidato declarou que tem R$ 16,9 milhões em bens declarados e que irá gastar R$ 3,5 milhões na campanha. Ele apresentou no domingo (27) os documentos solicitados, inclusive declaração de próprio punho em português. Os textos voltarão a ser analisados pela procuradoria, que poderá aceitar ou não os esclarecimentos.

Informações: G1

210x280xpapel-dr_rey.jpg.pagespeed.ic.TtQKWcbdKD

Primo de goleiro Bruno revela onde está corpo de Eliza Samúdio e fala detalhes do crime: “ela não foi esquartejada”

RTEmagicC_8f345560de.jpg

O primo do goleiro Bruno Fernandes das Dores de Souza, Jorge Rosa Sales, revelou nesta quinta-feira (24) que o corpo da ex-modelo Eliza Samúdio está enterrado num terreno próximo ao Aeroporto de Confins, em Belo Horizonte, em Minas Gerais.

Em entrevista à Rádio Tupi, Jorge afirmou que Eliza foi torturada e morta por asfixia na casa de Marcos Aparecido dos Santos, o Bola. Ela foi enrolada num lençol e colocada dentro de um saco lacrado antes de ser levada até o local. Jorge, que era menor na época do crime, contou que Macarrão estava junto e conhecia bem a região para onde o corpo de Eliza foi levado.

“Ela não foi esquartejada. Só cortaram a mão dela. O corpo ficou inteiro”, afirmou Jorge, acrescentando que o corpo foi transportado até ao cemitério clandestino no porta-malas de um EcoSport.

O relato foi feito ao repórter Marcos Marinho. Segundo o jornalista, Jorge revelou como se chega ao terreno.

“O local fica próximo ao aeroporto. Antes de chegar ao local, passa um retorno, depois de três ruas, entra numa estrada de chão. É um lugar distante. Ela foi enterrada perto de um pé de coqueiro grande e único dentro do terreno. Mesmo se não tiver mais esse pé de coqueiro no local, eu sei onde ela (corpo de Eliza) está. O buraco onde ela foi enterrada foi feito por uma retroescavadeira para dificultar a localização do corpo”, afirmou Jorge.

Jorge disse que ficou segurando o bebê enquanto Eliza era assassinada. Ele disse que não tinha como correr para pedir ajuda. ” Eu estava em Belo Horizonte e não sabia que aquilo ia acontecer. Eu não conhecia aquele lugar. Como eu ia sair para pedir ajuda? Como eu ia sair do local correndo? Não pude fazer nada porque o Bola é um psicopata, mata fácil. Fiquei com medo de sair para pedir ajuda”, afirmou.

Questionado porque só revelou a história depois de quatro anos, ele respondeu. ” Eu não sabia a pessoa certa para eu confiar para contar isso. Eu pensei muito. Me coloquei no lugar dela. De fazerem alguma coisa comigo. Isso não vai aliviar a pena do Bruno. Quero fazer a minha parte, mostrar onde ela está.”

Ele disse que não ganhou dinheiro para participar do sequestro de Eliza Samúdio.

De acordo com Jorge, o outro primo de Bruno, Sérgio Rosa Sales, que participou da reconstituição do crime e foi assassinado em 2012, teria sido morto por causa da morte da ex-modelo. Ele culpa o Macarrão pela morte de Sérgio. “Ele falou demais”, disse Jorge.

Desde o início do caso, Jorge mudou as versões, mentiu por orientações do advogado Elieser. ” Eu falando a verdade, eles não iam me soltar. Eu inventava uma história atrás da outra. Foi muita pressão em cima de mim.”

Prisão
Bruno foi preso em 2010 junto com o amigo, Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, acusados de sequestrar e matar Eliza Samudio, ex-amante do então goleiro do Flamengo.

No dia 8 de março do ano passado, o ex-jogador foi condenado pelos crimes de homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver, além de sequestro e cárcere privado do filho da modelo, Bruninho. Com isso, o ex-jogador foi condenado a 22 anos e três meses de prisão.

De acordo com a juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, do Fórum de Contagem, em Minas Gerais, Bruno, a quem classificou de mandante do crime, demonstrou ser uma pessoa “fria, violenta e dissimulada”. O ex-goleiro não poderá recorrer em liberdade.

Por causa do benefício da progressão de regime, a tendência é de que a partir de 2017 ele poderá entrar com recurso para o regime semi-aberto, pois já cumpre pena há quatro anos na penitenciária Nelson Hungria, em Contagem.

Em julho deste ano,  Graziella Cavalcante Vieira Lima, filha de José Arteiro Cavalcante, advogado que trabalhou como assistente de acusação no caso que julgou o goleiro Bruno por participação na morte de Eliza Samudio,  foi encontrada morta. Com informações da Rádio Tupi.

Reportagem ibahia

 

 

 

Mais Notícias